Minhas fraquezas!
Vers Jarude
Interpretação: Astir Carr
 
 
Sei do medo de externar, mas não posso ocultar...
São tantas e tantas, que nem sei por onde começar.
Sei da vontade de amar, que temo não mais encontrar.
Sei do temor da solidão, que estou aprendendo a conviver.
Sei dos defeitos horríveis, que luto para abandoná-los.
Um deles já consegui, os demais vou chegar lá...
Essa internet...  manias de sapatos...
 manias de ter que ser tudo exagerado, compulsão...
Sei de tantas coisas interiores e exteriores, que não consigo enfrentar...
 
Algum dia sei que terei que mudar por dentro e por fora,
há de chegar essa hora.
Sei da omissão com meu próximo, que não tem o que comer
e eu por preguiça, não reparto meu pedacinho de pão...
Sei que muitos não tem com o que se cobrirem...
Eu tenho sobrando e vou adiando...
Sei tantas coisas que um ser humano deveria fazer e não faz...
Eu também não faço...
É preciso fazer, urgente! E para isto
preciso levantar dessa cadeira em frente ao computador,
porque aqui, mora o maior dos meus defeitos.
Conseguirei!

 

 

Arte:Vera Jarude.

Tubes: Bibiche
Sem menção as imagens.
Música: Aquele que habita