Viver sem você!
Vera Jarude


Como é triste viver sem você
vindo na nossa casinha, conversar
sobre nossos sonhos,
das tuas dificuldades aí neste outro mundo!

Como é triste meu amor,
ficar sem saber como você
está e o que está acontecendo,
em todo este caminho de peregrino
errante, em busca da tua paz!

Como é triste, neste instante, saber
que nossa netinha nasceu e você será
o último a saber e deste
encanto do nascimento, nem
poder presenciar.

Como é triste meu amor, sofrer
por você e ficar a todo momento
pedindo para nosso PAI, que
além de nos dar o conforto, para todos
os desencontros, fazer com
que encontremos nossa tão sonhada
paz, juntinhos com todos os nossos
familiares!

Queria tanto, poder atenuar colocando
você em meu ombro, para os
dois juntos, até chorararmos por tudo
que vivemos...!

Queria tanto, agora te abraçar
e juntinhos ir ao encontro da nossa
princesa, que tanto disputamos
quem seria o primeiro a nós dar tamanha
felicidade, com esta netinha que teu
filho fez primeiro!

Tenho esperanças e muitas, que muito em
breve teremos mais e este será
do meu...

Que venham todos os netinhos abençoados
para curtimos e preencher nossas
vidas, refletidas em tanto
amor.
 


 
 


Viver em Ti
Luiz Poeta ( sbacem-rj ) - Luiz Gilberto de Barros
Às 21h e 46 min do dia 11 de abril de 2007 do Rio de Janeiro,
especialmente para o coração de Vera jarude


Sabe, meu amor... eu não parti...
Só me transformei numa lembrança
Que te revisita e vive em ti,
Quando a tua dor te faz criança.

Sabe, quando um neto te sorri,
Ou um filho fita o teu olhar,
Olha atentamente... estou ali
Silenciosamente a te falar.

O meu riso que tu conhecias
Solta-se no ar e atenua
Tua triste dor na alma vazia,
Quando o teu amor leve... flutua.

Quando tua dor te dominar,
E a lembrança triste te doer,
Lembra que aprendemos a sonhar
Quando o nosso amor nos fez viver.

 
 



Música: Tarde demais para esquecer
Arte Vera Jarude